domingo, 7 de outubro de 2007

Estrambolia Melancótica

Tenho vontade de mim mesmo
vontade sob consciência de fato,
de tanto que se viveu, e viverá,
os cegos só enxergam minha ausência.
Tenho horror, tenho pena...
E não vale a pena descrever os sentimentos
outros. Mas se invento um novo tento
meu amor é simples como é vário,
e sendo vário é um só. Tenho fome
umbilical por todos que de passado
a contemporâneo me alimentam
e a sede nova-mente é de novo
que em mim se prolonga. A corola
revela levemente suas pétalas

(e cinco espinhos são) na minha mão.



Por Priscila Lopes e Aline Gallina

8 espinhos:

Paulo Osorio disse...

Interessante, tem estilo próprio, nunca lí nada parecido, não que me lembre agora. Maravilhoso!

Daniel disse...

saudades vontade carinho fome e sede espinhos petalas mãos
sob uma nova ótica
Drummond
Gostei dessa

Priscila Lopes disse...

Na verdade, Paulo Osório, conforme destacou Daniel, este poema que abre o nosso blog foi inspirado (quase "desentranhado") de um poema de Drummond, chamado "Estrambote Melancólico", o que também influenciou na escolha do nome do blog.

Anônimo disse...

Conhecem Adília Lopes!?

Priscila Lopes disse...

É minha tia? Parece-me.

Brincadeira.

Não conheço. Espero que me esclareça ou terei de recorrer ao "amigo" Google.

Abraços!

Anônimo disse...

Priscila ela é incrível, mora na minha rua pesa 90 quilos, como disse na Tv, e escreve para se casar, é católica , visita lugares esconsos e acarinha coisas como batatas e baratas. Não estou a brincar, os escritores portugueses alguns tem medo dela Também não se chama Adília Lopes , tem pelo menos 15 apelidos. Está traduzida em vários países. Nunca foi ao Brasil porque não é apresentável como a Inês PEdrosa que não aconselho consulta no seu blogue amigo! A- braços a sua tia !

Aline Gallina disse...

O anônimo escreveu com tanta veemência que me deixou com um ponto de interrogação sentado no meu colo puxando as minhas orelhas e sussurrando que eu deveria procurar pelos escritos de Adília Lopes. Ela é, de fato, uma excelente escritora de Portugal, de quem tornei-me fã! Obrigada por me apresentar tamanha maravilha.
Abraços.

Joaquim Branco disse...

Abri os Cinco Espinhos e gostei.
Principalmente pelos poemas visuais.
Como enviar colaboração?