quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Aos mortos de ressaca

Cintilam faróis so far away
de nós: três ou quatro, cegos;
de tão difíceis de soltar,
saltam em mim faltam
motivos erguidos para não
deitar; e o que é o horizonte?
Contemplo ao longe - alguns
goles mais tarde: - arroto um poema.

10 espinhos:

Lívia Russo, 18 disse...

arrotar algumas palavras..
é assim que me sinto as vezes...
sento na frente do pc e quando vejo tá tudo ali... e de alguma forma que eu nem sei como explicar
oO
é a escrita que toma conta de tudo...
até dos sentidos...toma tudo pra ela!!
que egoísta essa escrita...
e que bem que ela faz!!

:*
:*
:*


espaço particular esse seu!! xD

João Rodrigo MAtsumoto disse...

Oi Aline e Pricila! Amei o blog de vcs! Uma excelente criação e um conteúdo muito imaginativo e criativo.
Eu escrevo versos mas não considero poemas...Já que recebo mais críticas que elogios.
Gostaria por favor de pedir a vcs duas para que criticassem meus escritos e visitassem para isto meu blog de poemas! Mas é sério dêem suas opiniões sinceras não importando se forem críticas negativas. Pois quero muito a cada dia evoluir minha escrita, se é que tem jeito...rsss
Bjoss queridas e bom feriado a vcs.

Célia Lima disse...

Oi, Priscila, agradeço o seu convite; seu blog é bem diferente; que interessante a sua proposta! E parabéns pelos seus versos criativos. Um beijo.

lau siqueira disse...

Muito legal o blog, Priscila. Já coloquei nos favoritos e, em breve, escreveo sobre vocês no Poesia Sim. Um beijo procê e Aline

dariopouso disse...

POema de gente honesta. Falta aroma de experiencia, a autora se realmente testemunou, optou por nao ir. Poeta nao pode nao ir. Poeta enterra o impossivel, jamais se contenta com arrotar poema.

*Wilson F. disse...

O arroto de um poema se transforma nessa obra de altíssima qualidade que encontro aqui, a cada clic um "tropeço" bom, ao molde daqueles encontros que se fizeram para acrescentar.
Parabéns pela produção e pelo trabalho de vocês, Priscila e Aline! Belo fds.

Inês disse...

putz... muito bom!!! tô feliz de ter sido apresentada a este blog. Vou deixar o meu end...

www.dj-vu.blogspot.com
INês.

Wagner Bezerra Pontes disse...

eu ia escrever algo poetico no comentário mas acabei me inspirando em teu poema e sem querer escrevi algo que irei publicar por lá...heheh quem sabe eu não apareço por aqui hein?!

abraço!

Anônimo disse...

Só se foi comida poesia! Só nessa condição esse fôlego.... Caso contrário insurjo-me contra o reino abjeccionista! Estou no meu direito faço as minhas opções e exijo limites a outros !
De acordo ou abro polémica mori-bunda!

Priscila Lopes disse...

(Dario) Falta aroma de experiência porque emana o aroma da juventude (essa moça bobinha, cheia de sonhos, poética).

Gosto mais: "exijo limites a outros"

"Precisei de toda culpa
posta em mim para meditar
e me reeditar: recuperar cacos
cortantes, laços rompidos, futuros
distantes, cabelos pintados, um salto
bem alto, falante, em bom tom,
me despi: sou a heroína da morte,
a mais forte entre os fracos!"