domingo, 11 de novembro de 2007

Solidão

Ainda não amanheceu aqui.
Estou só,
acompanhado do sujeito inexistente
e da penumbra
que teima descolorir em cinza.
Podem-se ouvir os grilos
gritam forte saltando da cabeça.
A partícula apassivadora agora é
um incômodo.
E o índice de indeterminação do sujeito
solidifica-se quando fecho os olhos.

5 espinhos:

Rodolfo disse...

Sujeito simples
absorto em oração subordinada,
rompe o verbo
barreira
entre sujeito e objeto
sujeito ora indefinido

hemisfério norte disse...

Obrigada pela sua visita, vplte sempre.
Adorei a discrição do Blog.:)
Atam-se todos os retalhos e depois saiem pedaços de solidão assim, onde até a cor de cinza ganha vida poética.
:)
bjs de Portugal

AnaLua disse...

Muuuito bonito, aula de gramática... beijos!

Pedro Ivo Martins disse...

O "índice de indeterminação do sujeito" foi genial. Gostei do estilo.

dan disse...

Pri! Adorei aqui também, virarei habitué do blog. Mandei pra seu e-mail a divulgação do sarau que organizo, o Ratos Di Versos. Se puder, apareça lá. Bjs