domingo, 25 de novembro de 2007

Poesia (in)culta

Meus miolos tosqueiam o ar
poético subentendido como culto.

Desculpem-me, mas creio que
não sou poeta. Devo ser mais um
escritor amador, mas amo a dor
que escrever me causa.

6 espinhos:

Rodolfo disse...

Aline,
"tosqueiam" é do verbo tosquear? *rs*
De minha parte, sei que não sou poeta, mas posso, com algum esforço, ser escritor, o que me bastaria.
aliás, vale lembrar do Leminski:
"
INCENSO FOSSE MÚSICA
isso de querer ser
exatamente aquilo
que a gente é
ainda vai
nos levar além
"
Um abraço!

Vieira Calado disse...

Eu acho que você é mesmo poeta!
Gostei do pequeno poema.
Obrigado pelas suas palavras no meu blog.

Márcia(clarinha) disse...

A dor lhe causa efeito de poesia, é poeta quem sabe brinca com fantasia.
dias lindos,
beijos

Caito disse...

É,da dor nasce o poema!

Beijo!

Wagner Bezerra Pontes disse...

Escritor amador não deixa de ser escritor...hehe...=D gostei

até!!

Anônimo disse...

È amador , meu caro wagner, e nunca deixa, ama, mas não a dor, ama o amor
dador , a dádiva, por diva.
Escritor amador ama a escritora amadora.
uma brincadeira Wagner porque sorri quando li.
cordialmente
JRM