sábado, 29 de março de 2008

Discussão

Falácias
Faces de palavras
......F...A...L...É
......................S
.........................I
...........................AS
..............................onde o corpo não é
lugar algum
Prata preta no lixo
da boca
Dá o que falar
(muita porcaria!)
em meio
ao cenário branco.

8 espinhos:

Cecilia Saraiva disse...

Bem. É isto. Ao bate boca preto preto preto tão cansativo ( e no mundo virtual são ainda mais sujos! - brigas inócuas em msn e textos gigantes no orkut sobre dasein e a estética blablabla de nãosseiquem), prefiro o silêncio branco e o pôr-do-sol contínuo. Música de câmara antiga, vinho, ou água mesmo que já fico feliz. Pode ter também uns versos de basho. Ficaria feliz em morrer assim, na paz da queda e com versos zen na cuca.
Quanta falação minha! :D
Que bom este blog!
Abs

felipedamo disse...

ritmo, ritmo...muito ritmo nisso...

Luis Eustáquio Soares disse...

cinco espinhos estão em minhs mãos, digitais de letras garatujas intrusas, e escrever e increver o fundo branco sobre o raso das lavras das concretas palavras, no fundo da superfície, o paradoxo da doxa.
belo texto poeta.
beijos
luis

Cecilia disse...

Oi, dei-me a liberdade de pôr um link para este lindo blog no meu. Abraços.

Bianca Feijó disse...

Adoro este estilo de poema, meio concretista de palavras concatenadas...

Vou linkar teu blog para não me perder mais...rsrs..

Beijos!

Serjones disse...

o que me impressiona não é a baixada das falésias, mas o ritmo que ela acontece. mto criativo.

Renato de Mattos Motta disse...

muito lindo!
tuas falésias têm um estranho paralelo com um poeminha difícil que postei em 03/04.
(são poemas completamente diferentes, mas acho que vais achar interessante ver o meu como gostei de ver o teu)
http://remamo.blogspot.com/

Aline Gallina disse...

Visitei seu Blog, Renato, e gostei muito do seu "Poeminha Difícil", que para mim está mais para "irônico". Foi uma boa crítica.