quarta-feira, 20 de maio de 2009

GARIMPO LITERÁRIO

RESPONDE, DRUMMOND
(Iôiô torturado)

Será, Drummond?
Será que de tudo fica um pouco?
será que restou um fiapo de mim
naquele vestido de noiva?
ou qualquer pulsão de amor
sobrevivente no lodo do peito
- bronquite de adeus
Será?

Será, Drummond,
que do gesto final
sobrou um tchau?
Palavra teimosa
que vai e volta
iôiô torturado nas cartas de amor
que não soube escrever.

Será, Drummond
que o anjo do perdão
está tocando a campainha?
Será que o destino das coisas é o esquecimento?
É o tanto faz
o deixa estar.

Será, Drummond
que meu coração
é pedra
sabão?

Será, Drummond
que ela lembra de mim
quando ouve um solo
de clarim?
Será, Drummond?
Será?
Ou nada a ver...


Gilberto Amendola,
jornalista e escreve no Haja Saco
às quintas-feiras

3 espinhos:

Gilberto disse...

Adorei ser garimpado. beijos

daufen bach. disse...

Será Drumonnd...
não sei...
não sei
Drumonnd foi eu fiquei
com um punhado de pedrinhas
ajuntadas.

Será Drumonnd?
talvez,
talvez
mas ninguém disse nada
e pelo nada que fiz
e pelo pouco que tu fez,
Drumonnd deve ter
inventar outro "caso do vestido".

Aqui brincando...
que bonito espaço.
que bela poesia.

abraço forte.

daufen bach.

Priscila Lopes disse...

"O que será, que será
que andam suspirando pelas alcovas
que andam sussurrando em versos e trovas

(...)

o que não faz sentido."