sábado, 24 de maio de 2008

COMO DIRIA HILDA HILST...

Araras versáteis

Araras versáteis. Prato de anêmonas.
O efebo passou entre as meninas trêfegas.
O rombudo bastão luzia na mornura das calças e do dia.
Ela abriu as coxas de esmalte, louça e umedecida laca
E vergastou a cona com minúsculo açoite.
O moço ajoelhou-se esfuçando-lhe os meios
E uma língua de agulha, de fogo, de molusco
Empapou-se de mel nos refolhos robustos.
Ela gritava um êxtase de gosmas e de lírios
Quando no instante alguém
Numa manobra ágil de jovem marinheiro
Arrancou do efebo as luzidias calças
Suspendeu-lhe o traseiro e aaaaaiiiii...
E gozaram os três entre os pios dos pássaros
Das araras versáteis e das meninas trêfegas.

5 espinhos:

Cassandra Brunetto disse...

Guriaaaaaaaaaaaaaa!!!!! Ótimo!!!! Mto, mto, mto bom! Parabéns! Bjoks e ótimo findi!

Marco Antônio de Araújo Bueno disse...

Há um componente que tangencia a Hilda, religiosa e aflita Hilda, minha amiga pessoal - o humor. Preliminares estão na forma,nos vocábulos. O orgasmo é do humor.
Parabéns!

Felinea disse...

como no jogo da sedução, o das palavras. e belas todas as que encontro aqui.

muito bom passear por estas bandas. o blog está lindo!

abraços.

Renato de Mattos Motta disse...

Hilda redescobriu a oralidade do sexo!

Rubens da Cunha disse...

Hilda sempre dizendo acima e além de todos nos.
abraços