quarta-feira, 16 de abril de 2008

and the oscar goes to...

Eu vou escrever um discurso para o bem
de todos. Vou celebrar toda uma Nação,
e Estados miniaturas da África,
da Europa e da Ásia - vou disseminar o vírus poético-
caótico no Azerbaijão. Em francês, une chanson triste
para os corações empedrados - leite em pó violado:
os ratos esperam seus restos – Oh, Imortais
da Literatura, eis mais um prêmio - o derradeiro,
o sentenciador - o mais perfeito é deixado para o final:
a Morte!

13 espinhos:

Bianca Feijó disse...

Caramba!

Que prêmio, a morte!Forte!

B.E.I.J.O.S

felipedamo disse...

que coisa mais "noite na taverna"!

uau!

zamy disse...

....é um bom prêmio, e nem fica pegando poeira na estante ; )

Maith disse...

Geralmente os escritores são reconhecidos depois da morte. Enquanto vivos tudo que fazem parece banal, mas depois tudo o que fizeram ganha o tom de coisa sensacional, meio mistica.

[jb] disse...

e como os jornalistas iriam fazer as perguntas?????

[jb]

VANDRÉ FERNANDO disse...

www.vandrefernando.blogspot.com

Maringá, Comportamento, Artigos, Politica, Classificados, Pessoal e Variedades. Contato: (44) 9113-2799 vandre_fernando@hotmail.com

Sua visita e sugestões no meu Blog, são fundamentais para deixá-lo melhor sempre.

Aguardo sua visita.
abç

Renato Alt disse...

Quanta intensidade em tão poucas linhas... parabéns...

Renato Alt disse...

Quanta intensidade em tão poucas linhas... parabéns...

Rodolfo disse...

É um prêmio que, alguma hora, todos recebem, independe de crítica e de público.
Democrático prêmio final, consagração de imortais e outros quetais.

LAU SIQUEIRA disse...

Tanto tempo sem vir aqui... os espinhos já não me reconhecem...
beijos!

Dauri Batisti disse...

...é, de fato, um discurso para o bem de todos.

Priscila Lopes disse...

A palavra é justamente essa Rodolfo: o prêmio mais democrático da área.


Obrigada pelas participações.

Cassandra Brunetto disse...

Acho que esse é o único prêmio certo da vida...

Que irionia!

Bjoks